Ciberataque Petya custou US$ 135 milhões nas receitas da Merck

A receita referente ao terceiro trimestre da gigante farmacêutica foi drasticamente reduzida em parte por conta do encerramento temporário na produção,  crescimento não planejado da demanda e perda de vendas em alguns mercados, devido ao vírus.

  Foto: Internet

Foto: Internet

 

A gigante farmacêutica Merck ainda está sofrendo com os efeitos de ter se tornado vítima do ataque global Petya/NotPetya, que devastou indústrias no mundo todo em junho de 2017. (Para lembrar: o Petya/NotPetya foi um ataque em massa de ransomware, que se espalhava pelas redes, bloqueando o acesso dos usuários aos computadores infectados. O ataque começou na Ucrânia e afetou milhares de computadores de diversos países, como Rússia, Polônia, EUA e até Brasil).

Em seus resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre, Merck reportou que suas vendas caíram US$ 240 milhões depois de terem emprestado a vacina GARDISIL para o Centro de Controle de Doenças dos EUA.

A companhia ainda vivenciou uma pausa temporária em sua produção após se tornar vítima do Petya, resultando na falta de estoque para atender a demanda global, que se mostrou maior do que planejada.

Além disso, a receita atingiu cerca de US$ 135 milhões em vendas perdidas em alguns mercados, que estavam diretamente ligados ao ciberataque. A companhia notificou seu público de que essas perdas eram esperadas em um registro de agosto, junto à Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos.

As vendas durante o trimestre, comparado com 2016, tiveram uma queda de US$ 150 milhões devido ao cronograma de remessas. As vendas globais foram de US$ 10.3 bilhões no trimestre (2% menor com relação ao ano anterior).

A margem GAAP bruta foi de 68,3% no trimestre, ante os 67,6% no terceiro trimestre de 2016. O aumento é fruto dos efeitos favoráveis dos produtos, mas compensado pelo custo dos ciberataques.

Merck foi uma das tantas corporações globais que foram impactadas pelo malware Petya, um vírus cuja proposta era bloquear o acesso das vítimas aos sistemas e destruir seus dados.

Outro sistema de saúde que foi vítima desse ataque teve que substituir toda sua rede, enquanto que a FedEx e outras empresas assumiram que o vírus causou danos permanentes em seus sistemas.

 

Matéria traduzida do: http://www.healthcareitnews.com/news/petya-cyberattack-cost-merck-135-million-revenue

Quer saber mais notícias sobre Segurança da Informação? Acesse: https://www.flipside.com.br/blog/